POR QUE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS DEVEM INVESTIR EM COMPLIANCE

As pequenas e médias empresas são responsáveis por gerar cerca de 60% dos empregos do país.

E, como já é sabido, muitas delas foram criadas com a finalidade de fornecer serviços a grandes corporações, que já adotam programas de compliance, tendo se adequado, inclusive, à chegada da Lei de Anticorrupção.

Essas grandes corporações têm exigido cada vez mais uma postura ética e responsável de seus empregados e fornecedores frente às exigências legais em geral.

Pensando, assim, é inquestionável que pequenas e médias empresas devem ser adaptar às exigências atuais para que, assim, estejam capacitadas a atuar em um mercado, cada vez mais, competitivo e, por consequência, atenderem a demandas vindas de grandes empresas.

Não podemos esquecer que, para as relações público-privadas, não têm sido diferente.

Estados e municípios que possuem legislação exigindo programas de integridade como pré-requisito para contratação, vêm obrigando empresas de pequeno e médio porte a implantar programas de compliance.

Sem esse programa, essas empresas perdem a oportunidade de renovação de contratos ou de participação em licitações, comprometendo, inclusive, a sobrevivência de seus negócios.

Além disso, nunca é demais relembrar que pequenas e médias empresas que já adotam um programa de compliance têm mais capacidade para atrair novos clientes, parceiros e colaboradores; têm a possibilidade de conquistar investidores; têm facilitada a obtenção de crédito; favorecem o clima organizacional interno, atraindo melhores profissionais para seu quadro de empregados ou direção; dão mais segurança a seus colaboradores; eliminam ou reduzem, drasticamente, riscos de fraude, roubos ou corrupção; conseguem ter controle mais ágeis e eficazes de suas atividades, além de melhorarem sua imagem no mercado em geral.

Ou seja, em termos competitivos, pequenas e médias empresas que aderem ao programa compliance têm mais vantagem em relação a seus concorrentes.

E, nesse caso, o tamanho do negócio torna-se menos importante, frente às vantagens oferecidas quando uma empresa já atua em conformidade com a legislação em vigor, a ética e a responsabilidade perante a sociedade em geral.

A princípio, pode-se pensar que se trata de aumento de despesas, contudo trata-se, em realidade, de investimento, visando a garantir a manutenção ou crescimento da empresa no mercado.

Pense nisso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima